Seguidores

sábado, 14 de agosto de 2010

NO MANTO DA NOITE


É no manto da noite

Que as estrelas faíscam

Às almas vagantes - amantes

O doce delírio das ilusões

O calor intenso das paixões.

E o flash da chegada do dia

Atravessa os vãos da janela

Despertando mais um sonho...

Mas essa inebriante essência

Permanece rubra e marcante

Nas veias urgentes do poeta

Que a goteja em sua poesia.


2 comentários:

  1. Na noite o Poeta encontra a motivação do dia, seu poema é lindo motiva a criação, Poata,. Boa Tarde!

    ResponderExcluir
  2. GENERINO GABRIEL - POETA15 de agosto de 2010 14:09

    PARABÉNS, CLEIDE, PELO BELO POEMA. ADOREI!

    ResponderExcluir

Agradecida por sua gentil visita.