Seguidores

quarta-feira, 15 de junho de 2011

E ASSIM...




Foi meu caminho sempre de amor

Mesmo quando incompreendido

Mesmo quando estendido em dor

E assim seguirão os meus pés

Por esse igual chão

Até o fim dos meus dias.

E guardada no meu íntimo

Toda a eternidade da poesia.



2 comentários:

  1. Boa tarde Cleide!
    Um texto de poucas palavras, mas que fala tanto...

    Uma voz que cala fundo....
    Acredito que este texto foi um prelúdio para o texto seguinte "O ultimo suspiro da poesia" . Em minha experiência tantas vezes cheguei a pensar que a poesia tinha indo-se. Mas ela sempre volta, e algumas vezes ela se vai para que eu crie inspirações para novas palavras, nova poesia...
    Um lindo fim de semana para você!
    Lembranças!

    ResponderExcluir

Agradecida por sua gentil visita.